João Lázaro

Requerimento busca informações sobre convênio com o Banco Cruzeiro do Sul

Publicado em: 12/08/2021 15:00

Whatsapp

 

Na sessão ordinária, vereador João Lázaro comenta sobre seu requerimento

Requerimento busca informações sobre convênio com o Banco Cruzeiro do Sul

Vereador João Lázaro tem objetivo de receber informações sobre o convênio com a Prefeitura

Durante a 28ª Sessão Ordinária realizada na segunda-feira (09/08), o vereador João Lázaro (PSDB) apresentou o Requerimento nº 367/2021 solicitando informações quanto ao convênio firmado entre a Administração Pública Municipal e o Banco Cruzeiro do Sul.

O convênio foi firmado há 12 anos sendo ofertado aos servidores um cartão com limite de R$ 1 mil. “Um cartão milagroso que podia descontar do salário, na folha de pagamento do servidor até 10% do valor que ele gastou na época e você podia comprar panela, frigideira, chaveiro, tudo que você quisesse”, explicou o parlamentar.

João Lázaro comentou que alguns servidores acabaram se endividando e, até hoje, continuam pagando para o Banco Cruzeiro do Sul. “Sei como funciona alguns o cartão, está ali a possibilidade de pegar o dinheiro e pegaram. Faz 12 anos que estão pagando de 40 a 150 reais e vem sendo descontado na sua folha de pagamento.”

Houve uma tentativa de entrar na justiça contra o Banco. “A justiça diz que primeiro deve-se tentar um acordo administrativo, mas de que forma? Pergunto aos senhores vereadores e público que nos acompanha. Se você liga lá, ninguém atende, não consegue falar com ninguém, mas o pagamento é feito”, salientou o vereador.

No requerimento, João Lázaro questiona de que forma se dá a comunicação entre o Executivo Municipal e o Banco Cruzeiro do Sul. “Como é cobrado isso mês a mês? É encaminhada uma lista? É fixo? Existe um contato por meio eletrônico? Eu quero saber que contato é esse, qual é o endereço eletrônico e o nome da pessoa. Se for feito contato por telefone quero o DDD, o telefone e qual o nome do contato porque os nossos servidores vão continuar pagando, infelizmente, até o óbito ou aposentadoria.”

“A verdade é que o funcionário público, infelizmente, caiu nessa e está sendo massacrado há 12 anos e não sei de que jeito, mas vamos tentar resolver e eu espero contar com o apoio dos senhores. Vamos chamar os representantes dessa empresa para que as dívidas sejam negociadas de forma a ter fim. Porque do jeito que está, não está tendo fim”, pontuou o parlamentar.

Além disso, o Banco Cruzeiro do Sul teve sua falência decretada em 2015. “O Banco Cruzeiro do Sul não sei se faliu, mas não existe mais. Acredito que foi vendido a outra empresa que tinha uma procuração para poder receber esses valores dos funcionários públicos. Eu quero o contrato desde o início, quero os valores até a presente data. Vai ser difícil, mas é um começo, alguém tem que fazer alguma coisa”, finalizou João Lázaro.

O requerimento foi aprovado por todos os vereadores presentes na sessão e será encaminhado para que o Executivo Municipal possa responder dentro do prazo regimental.  

Por Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Porto Ferreira